ArabicBengaliChinese (Simplified)EnglishFrenchHindiPortugueseRussianSpanishUrdu

Não Inviabilize: um podcast de histórias (reais)

Nos últimos meses, escrevi sobre diversos podcasts que falassem do universo cultura-museologia-memória-histórias: o Entrebaerta sobre políticas públicas brasileiras, o Solidariedade e Sociabilidade sobre as histórias da Feirinha da Pavuna no Rio de Janeiro, o Museológicas do Projeto de Extensão da Museologia da UFPE e as Donas da Arte que resgata histórias de artistas brasileiras. Sendo assim, hoje eu venho falar sobre mais um, o Não Inviabilize.

A idealizadora do podcast é Déia Freitas. Ela é psicóloga, escritora e roteirista, ou seja, uma ouvinte e contadora de histórias. Além disso, é ativista da causa animal e também voluntária em outras causas sociais.

De acordo com a idealizadora, o Não Inviabilize é  “[…] um espaço de contos e crônicas, um laboratório de histórias reais. Aqui você ouve as suas histórias misturadas às minhas!”. Além disso, a origem do nome remonta à época que Déia tinha um blog, o Não Inviabilize a Minha Existência, nos tempos áureos da blogosfera.

Não Inviabilize | Podcast on Spotify
Logo do Não Inviabilize

Os episódios são curtos, com uma média de 15 min de duração. Déia conta as histórias de maneira leve, como uma conversa de bar que pode durar horas seguidas. Dividem-se em alguns quadros, como: o Primeiro Encontro conta histórias de namoros, o Picolé de Limão apresenta narrativas do cotidiano, o Luz Acesa é recheado de histórias de terror e suspense.

O Não Inviabilize conta, ainda, com alguns projetos. Um deles, chamado Rádio N.I., busca levar os episódios do podcast para comunidades, hospitais, casas de repouso. Isso é possível através de parcerias com rádios comunitárias e internas.

Por fim, para ouvir os episódios e acompanhar os projetos do Não Inviabilize, é só acessar o site e acompanhar as redes sociais.

Nicole Castilho

Read Previous

10 Cursos de Arte online e gratuitos

Read Next

Theatro Municipal- Vaga Analista de Atendimento ao Público.

Deixe uma resposta