Semana de Arte Moderna de 22: Conheça os artistas

Com o início das comemorações centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, é fundamental relembrar os artistas que participaram deste acontecimento histórico. O evento aconteceu no Theatro Municipal de São Paulo nos dias 12, 15 e 17, divididos por temas específicos, como música, dança e recital. Apenas a exposição de quadros e esculturas foi constante a semana toda, no saguão do Theatro, com 100 obras dos artistas Emiliano Di Cavalcanti, Anita Malfati, Candido Portinari, Victor Brecheret , John Graz, entre outros.

A presença das artes visuais na Semana de Arte Moderna de 1922 e suas obras significaram uma busca pela ruptura com o conservadorismo vigente na produção literária, musical e visual da época. Apesar da exposição não trazer uma nova linguagem estética em si, ela contribuiu muito para o desenvolvimento da arte moderna no Brasil. Abaixo, conheça alguns dos artistas:

Vicente do Rego Monteiro

Vicente do Rego Monteiro

Nascido em Recife (Pernambuco) em 1899, Vicente do Rego Monteiro foi pintor, escultor, desenhista, ilustrador e poeta. Estudou na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e realizou cursos em Paris, participando de exposições no Rio de Janeiro, Recife e São Paulo. Durante o período dessas exposições, o artista entrou em contato com os demais artistas e intelectuais que, em 1922, organizariam a Semana de Arte Moderna. Em 1921, retornou a Paris e deixou algumas pinturas com o colecionador Ronald de Carvalho, que decidiu incluí-las na seleção de obras expostas na Semana de Arte Moderna de 1922, mesmo sem o artista estar no Brasil. 

Suas obras são marcadas pela influência da cerâmica marajoara e pela cultura indígena, o que conferiu a suas telas densidade e volume. Vicente também publicou um livro de poesias e também atuou como tradutor.

A Cobra Grande Manda para Sua Filha a Noz de Tucumã (1921)

Zina Aita

Zina Aita

Nascida em Belo Horizonte (Minas Gerais) em 1900, Zina Aita foi um pintora, ceramista e desenhista e é considerada precursora do modernismo em Minas Gerais. Ela estudou na Itália com o artista Galileo Chini e, logo após seu retorno ao Brasil, tornou-se amiga de Anita Malfatti e Mário de Andrade. A artista participou da Semana de Arte Moderna de 1922, além de ter realizado ilustrações para a revista Klaxon, publicação dos modernistas paulistas. Além disso, realizou exposições em São Paulo, Belo Horizonte e Minas Gerais.

Em 1924, a artista se mudou para Nápoles e coordenou uma fábrica de cerâmica e continuou seus estudos como artista na Itália. Sua história não é muito conhecida, sendo que a maior parte de sua produção não é identificada nem datada.


Homens Trabalhando (1922)

Para acompanhar a programação do centenário da Semana de 22, acesse o site: https://agendatarsila.com.br/

O Click Museus é um projeto que trabalha a fim de aproximar o público dos museus, democratizando o acesso às instituições culturais. Para conhecer mais sobre o projeto, acesse o link: https://clickmuseus.com.br/coletivo-akangatu-projeto-click-museus/

Read Previous

Fundação Dom Cabral Nova Lima, Minas Gerais- Vaga Bibliotecário

Read Next

Fóssil de dinossauro bebê preservado foi encontrado

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.