MARGS convida para abertura da exposição: Presença Negra (grátis)

“Presença Negra no MARGS” é uma grande exposição coletiva que traz a público o debate e a reflexão sobre a presença e representatividade negra no campo das artes visuais, a partir de uma perspectiva desde o Sul do Brasil.
Com curadoria dos pesquisadores Igor Simões e Izis Abreu e assistência de curadoria de Caroline Ferreira e produção e realização do MARGS, a ampla e extensa mostra apresenta mais de 250 obras, de diversas coleções e procedências, reunindo cerca de 70 artistas entre históricos e atuantes (veja a lista completa mais abaixo).
Entre os atuantes, um grupo de mais de 20 artistas participou recentemente da residência artística intitulada “Resistência artística: INcorporAÇÕES e cruzas poéticas”, uma parceria entre MARGS, RS Criativo e Sesc RS. A atividade de formação e aperfeiçoamento, que integrou as ações preparatórias para a exposição, envolveu temas como o conceito de arte afro-brasileira, o funcionamento do sistema das artes e o empreendedorismo, além da formalização, gerenciamento e comunicação do negócio criativo.


Já entre as obras de arte e peças de coleções presentes na exposição, estarão sendo exibidos itens de mais de 20 acervos de instituições, museus e coleções particulares, como MARGS, Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul — MAC RS, Casa de Cultura Mário Quintana — CCMQ, Fundação Vera Chaves Barcellos — FVCB, Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo — MALG, Escola Municipal de Arte Carlos Alberto de Oliveira – Carlão, Pinacoteca Aldo Locatelli, Pinacoteca Ruben Berta e Coleção Sartori.


Um dos destaques é Deusa Nimba. A escultura secular da deusa africana teve sua descoberta no Estado do RS revelada em 2018 e pertence ao município de Santo Ângelo. Localizada pelo Núcleo de Estudos em Cultura Afro-Brasileira e Indígena (Neabi) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), e identificada em uma pesquisa que durou 2 anos, a Deusa Nimba é a primeira a ser encontrada no Brasil e tem ligação com a tradição religiosa cultuada pelas etnias Baga e Nalu, presentes nas repúblicas da Guiné e da Guiné-Bissau desde o século 15 e que chegaram ao Rio Grande do Sul no século 17.


As mais de 250 obras são apresentadas em núcleos a partir do conceito de “poéticas das encruzilhadas”, noção elaborada com base nas proposições teóricas de Luiz Rufino (2019) e que parte da compreensão de que a arte afro-brasileira resulta dos cruzos de múltiplos conhecimentos condensados em manifestações poéticas tecidas na trama das experiências transatlânticas.

A ABERTURA

A inauguração da exposição “Presença Negra no MARGS” no sábado, 14.05.2022, a partir das 10h30, é aberta ao público e contará com ato solene reunindo participantes, autoridades, apoiadores e comunidade artística e cultural.


A abertura da exposição terá a apresentação de duas performances. A primeira se intitula “Agô”, da artista Preta Mina. O termo iorubá significa “pedir licença ou permissão”. No âmbito da mostra, Agô simboliza um pedido de licença para refletirmos sobre questões que pulsam para o sistema das artes no Rio Grande do Sul.


Já a segunda performance se intitula “Arriada (fluxo reparatório)”, com a artista Rita Léndè. Trata-se de parte do fragmento performativo da obra cênica “Idê.Percursos” (2015),  que questiona o que é ser uma mulher negra brasileira, latina e sul americana, que segue sem resposta “definida”.

Exposição “Presença Negra no MARGS”


Curadoria de Igor Simões e Izis Abreu e assistência de curadoria de Caroline Ferreira Quando: abertura 14.05.2022, às 10h30min. A inauguração é aberta ao público e contará com ato solene reunindo participantes, autoridades, apoiadores e comunidade artística e cultural. Haverá performances das artistas Preta Mina Rita Léndê. A exposição segue em exibição até 21.08.2022.


Onde: Foyer, Pinacotecas, Salas Negras e Sala Aldo Locatelli, no 1º andar do Museu. O MARGS — Museu de Arte do Rio Grande do Sul é uma instituição da Sedac — Secretaria de Estado da Cultura do RS e fica localizado na Praça da Alfândega s/nº, em Porto Alegre, RS.


Visitação: terça-feira a domingo, das 10h às 19h (último acesso 18h30), sempre com entrada gratuita, sem necessidade de agendamento. O MARGS também oferece ao público visitas mediadas para grupos de até 6 pessoas, de quinta-feira a sábado, em 2 faixas de horários (10h30 às 12h e 14h às 15h), mediante agendamento prévio no LINK .

Texto, foto e Fonte: MARGS

Read Previous

Museu da Casa Brasileira convida para oficina gratuita: Cartografias que transbordam

Read Next

Série “Memória do Brasil” no canal do  Centro da Memória da Eletricidade (grátis)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.