IMS Paulista convida para caminhada: Travessias Fotográficas na Av. Paulista (grátis)

TRAVESSIAS FOTOGRÁFICAS: EXPOSIÇÃO DAIDO MORIYAMA + 13ª BIA

Roteiro 02 – Centro: memória e resistências (IMS)

Ponto de encontro: IMS Paulista – Avenida Paulista, 2424 – Bela Vista, São Paulo – SP, 01310-300.

As travessias em parceria entre a 13ª Bienal de Arquitetura e a exposição Daido Moriyama: uma retrospectiva, organizada pelo Instituto Moreira Salles, têm como objetivo promover aproximações entre a fotografia feita por Moriyama e o olhar para a cidade de São Paulo. A caminhada começa na avenida Paulista, onde a exposição está em cartaz, provocando o olhar para a cidade através da fotografia, com inspirações no pensamento conceitual de Moriyama. Ao longo do trajeto seguinte, os participantes são convidados a conhecer a história do lugar e a criar suas próprias imagens.  O roteiro, organizado pelo coletivo Cartografia Negra, passa por lugares do centro de São Paulo que se relacionam com memórias dos povos africanos em diáspora, durante os séculos XVIII e XIX.

ABERTURA

Thyago Nogueira é curador e editor. Dirige o departamento de Fotografia Contemporânea do Instituto Moreira Salles e é editor-chefe da revista ZUM. É curador da Exposição Daido Moriyama: uma retrospectiva, organizada pelo Instituto Moreira Salles.

Daniele Queiroz é curadora-assistente de Fotografia Contemporânea no Instituto Moreira Salles. Fundadora da plataforma e grupo de estudos “A história é outra”, que estuda mulheres fotógrafas e metodologias decoloniais de aproximação à imagem. É assistente de curadoria da Exposição Daido Moriyama: uma retrospectiva, organizada pelo Instituto Moreira Salles.

Clique Aqui e reserve seu ingresso.

CONVIDADOS

Carolina Piai Vieira Atua como pesquisadora do coletivo Cartografia Negra e como formadora no Instituto Vladimir Herzog. Graduada em Jornalismo, aluna do Núcleo de Artes Afro-brasileiras da USP e mestranda em História Social. Atualmente faz parte da equipe de co-curadoria da 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo. 

Monike Raphaela Mulher preta periférica, formada em fotografia e sonoplastia, utiliza de diversas linguagens como forma de expressão, desenvolve pesquisas com o documental, estuda as relações e visa evidenciar a importância da própria vivência enquanto artista independente para a construção de sua identidade e compreensão de seu território na zona leste. Fundadora e integrante do Coletivo CRIÔ, coletivo audiovisual independente da zona leste de SP. 

Pedro Vinicius Alves Pesquisador do coletivo Cartografia Negra, trabalhou na Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo nos anos de 2014 e 2015. Foi formadora em Cartografia Cultural no programa de Formação de monitores das Casas de Cultura. Atualmente faz parte da equipe de Co-curadoria da 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo.

Raíssa Albano de Oliveira Antropóloga e educadora, mulherista africana  Foi formadora no programa Jovem Monitor (CIEDS). É pesquisadora do Coletivo Cartografia Negra, Coordenadora de pesquisa no Instituto Gilberto Dimenstein. Faz parte da equipe de co-curadoria da 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo.

Fonte e texto: IMS

Read Previous

MASP oferta palestra online: A visão da paisagem (grátis)

Read Next

 Museu de Arte Moderna de SP convida: Visita Educativa no Minecraft (grátis)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.