ArabicBengaliChinese (Simplified)EnglishFrenchHindiPortugueseRussianSpanishUrdu

Conhecendo o Museu Casa Guimarães Rosa / MG – Parte 1 – Cordisburgo/MG

No ano de 2012 foi inaugurada a Nova Exposição Permanente do Museu conhecida como “Rosa dos Tempos, Rosa dos Ventos”, que teve como curador o Sr. Leonardo José Magalhães Gomes. Trata-se de evidenciar, por meio de uma nova exposição, a inserção do Museu numa região, que é entendida como cenário e ambiente de experiências vividas e recriadas na produção literária de Guimarães Rosa. À maneira de um portal, o Museu apresenta ao visitante as inúmeras possibilidades de se mergulhar na paisagem do cerrado e na cultura do sertão mineiro.

SALA DE VISITAS – ACOLHIMENTO

Na antiga Sala de Visitas hoje Sala de Acolhimento do Museu Casa Guimarães Rosa temos informações sobre a Nova Exposição de Longa Duração conhecida como “Rosa dos tempos, Rosa dos ventos” cuja curadoria foi do Sr. Leonardo José Magalhães Gomes. Trata-se de evidenciar, por meio de uma nova exposição, a inserção do Museu numa região, que é entendida como cenário e ambiente de experiências vividas e recriadas na produção literária de Guimarães Rosa.

Sala de Acolhimento do Museu Casa Guimarães Rosa – Foto: Ronaldo Alves

À maneira de um portal, o Museu apresenta ao visitante as inúmeras possibilidades de se mergulhar na paisagem do cerrado e na cultura do sertão mineiro. Nas paredes da sala destacam-se: uma pequena cronologia dos momentos mais importantes da vida e obra do escritor e a Cartografia Rosiana que é uma ilustração feita por Júlia Bianchi que mostra os lugares reais do sertão mineiro que serviram de inspiração para as estórias criadas por Rosa. Imaginária, fantástica e mítica mesmo é a relação dessas localidades com o universo do escritor, que transforma o pacato interior mineiro no surpreendente sertão rosiano. Assim, a geografia real de Minas Gerais se transforma na geografia mítica de João Guimarães Rosa. Essa região mineira, que traz em si a referência geográfica do ambiente onde vivem seus personagens.

Ilustração de Júlia Bianchi da Cartografia Rosiana – Foto Ronaldo Alves

QUARTO DE GUIMARÃES ROSA – SALA CORDISBURGO

O antigo quarto de Joãozito hoje conhecido como Sala Cordisburgo, pois é uma homenagem à cidade natal de Guimarães Rosa. O nome Cordisburgo é uma junção do latim com o alemão. “Cordis” do latim significa “Coração” e burgo do alemão significa “Cidade”; ou seja, Cordisburgo é conhecida como “Cidade do Coração”. A cidade recebeu este nome devido à devoção que o fundador Padre João de Santo Antonio tinha ao Padroeiro Sagrado Coração de Jesus.

Antigo Quarto de Guimarães Rosa – Sala Cordisburgo – Foto: Ronaldo Alves

Estão expostos nas paredes fotografias antigas da cidade e do escritor juntamente com seus familiares. Temos também um trecho do discurso de posse de Guimarães Rosa na Academia Brasileira de Letras ocorrido em 16 de novembro de 1967. Nele o escritor demonstra o carinho que sempre teve por sua terra natal, pois ele inicia e termina o discurso com o nome Cordisburgo. Há também bordados feitos por um grupo de bordadeiras de Cordisburgo chamado “Estrelas do Sertão” da AAMCGR representando a paisagem do sertão e pontos turísticos da Cidade do Coração.

Antigo Quarto de Guimarães Rosa – Sala Cordisburgo – Foto: Ronaldo Alves

INFORMAÇÕES:

Horário de Funcionamento:

De terça-feira a domingo das 09h30min às 17h

Museu Fechado:

No último domingo de cada mês, natal, réveillon e carnaval

CONTATOS:

Museu Casa Guimarães Rosa – Avenida Padre João, 744, Cordisburgo/MG – CEP: 35780-000

Tel: (31) 3058-1587 / E-mail: museuguimaraesrosa@secult.mg.gov.br

Instagram: instagram.com/museuguimaraesrosa

Facebook: facebook.com/museucasaguimaraesrosa.mg

Youtube: youtube.com/c/MuseuCasaGuimarãesRosa

Museu Casa Guimaraes Rosa

O Museu Casa Guimarães Rosa/MCGR, vinculado à (DIMUS) Diretoria de Museus da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, foi idealizado no contexto de dois acontecimentos: o falecimento repentino de João Guimarães Rosa em 19 novembro de 1967 e a criação no ano de 1971 do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG. Inaugurado em 30 de março de 1974 na casa onde Guimarães Rosa nasceu e passou sua infância em Cordisburgo, o Museu foi concebido como centro de referência da vida e obra do escritor João Guimarães Rosa.

Read Previous

Mostra ‘Di Cavalcanti, Muralista’, no Instituto Tomie Ohtake

Read Next

Parque das Ruínas reabre a visitação

Deixe uma resposta