Mostra ‘O Fio de Ariadne’ no Instituto Tomie Ohtake

O Instituto Tomie Ohtake recebe, desde o mês de abril, a mostra O Fio de Ariadne, do artista gaúcho Iberê Camargo. A exposição tem curadoria de Denise Mattar e Gustavo Possamai e apresenta obras que há décadas não são exibidas ao público. Composta por 36 cerâmicas e oito tapeçarias de grandes dimensões que não são expostas há cerca de 40 anos e que estão em coleções públicas e particulares de Lisboa, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Também fazem parte da mostra cartões e gravuras e uma linha do tempo em referência à urdidura feminina que apoiou o trabalho do pintor ao longo de sua história.

Tecelagem com fios de lã, seda e algodão tingidos sobre tela de algodão – 167 x 208 cm
Produzida com a colaboração do ateliê de Maria Angela Magalhães. (coleção Gente Seguros, Porto Alegre) Foto: Carlos Stein_VivaFoto.

Iberê Camargo realizou uma série de pinturas em porcelana com assessoria das ceramistas Luiza Prado e Marianita Linck, nos anos 1960. Entre a década de 1960 e 1980, além de sua intensa produção em pintura, desenho e gravura, o artista realizou trabalhos em cerâmica e tapeçaria. Parte dessa compõe a mostra, que é complementada por uma cronologia ilustrada, apresentando algumas das mulheres que marcaram presença na vida de Iberê, por meio de fotos, biografias e depoimentos: a esposa Maria Coussirat Camargo; as artistas Djanira, Regina Silveira e Maria Tomaselli; a tapeceira Maria Angela Magalhães; as ceramistas Luiza Prado e Marianita Linck; as gravadoras Anna Letycia, Anico Herskovits e Marta Loguercio; a escritora Clarice Lispector; a galerista Tina Zappoli; a produtora cultural Evelyn Ioschpe; a cantora Adriana Calcanhotto e a atriz Fernanda Montenegro.

Sem título, 1965, esmalte cerâmico sobre prato de porcelana industrial – diâmetro: 21 cm
(Coleção particular, Porto Alegre)
Foto: Fabio Del Re_VivaFoto.

Nessa montagem da exposição, o Instituto Tomie Ohtake incluiu o filme Dédale, do artista e diretor francês Pierre Coulibeuf. A obra integra o acervo da Fundação Iberê, foi produzida em 2009 a partir de filme 35mm, inspirada no universo artístico e criativo de Iberê Camargo e realizada através de um projeto curatorial de Gaudêncio Fidelis.

Sem título, 1975. tecelagem com fios sintéticos, de lã, seda e algodão tingidos sobre tela de algodão – 127 x 191 cm
Produzida com a colaboração do ateliê de Maria Angela Magalhães. (Coleção Roberto Marinho/Instituto Casa Roberto Marinho). Foto: Jaime Acioli.

O quê: Mostra O Fio de Ariadne, de Iberê Camargo

Quando: De 24 de abril a 18 de julho, de terça a domingo, das 12h às 17h

Onde: Instituto Tomie Ohtake

Quanto: Gratuito

Mais informações: https://www.institutotomieohtake.org.br/exposicoes/interna/o-fio-de-ariadne

Imagens: Instituto Tomie Ohtake.

Para conhecer mais sobre o projeto Click Museus, acesse o link: https://clickmuseus.com.br/coletivo-akangatu-projeto-click-museus/

Rittieli Quaiatto

Read Previous

Fundação Itaú contrata Analista de Tecnologia Pleno

Read Next

MASP abre vaga para ESTAGIÁRIO (a) EM ENGENHARIA

Deixe uma resposta