ArabicBengaliChinese (Simplified)EnglishFrenchHindiPortugueseRussianSpanishUrdu

Filmes baseados nas obras de Zygmund Bauman

Para aqueles que adoram as obras de Bauman, já conhecem bastante sobre a Modernidade Líquida, sendo um conceito desenvolvido pelo autor, o qual fala que na sociedade atual, as relações se tornam cada vez mais voláteis, ou seja, tudo é mais fácil de acabar bruscamente. O amor não escapa desse conceito, e assim, o amor Líquido no mundo moderno pode ser claramente exemplificado por aplicativos de relacionamento, como o Tinder. Nesses tempos modernos, a todo instante, estamos em busca de novas relações que são constantemente frustradas, partimos para a próxima e assim consequentemente buscando preencher um vazio criado pelo desejo. As relações são fluidas, adotam a velocidade de seu tempo.Em tempos líquidos, nada é feito para durar.

Pensando nesses conceitos, aqui vai uma lista de filmes que mostram como o amor líquido está cada vez mais enraizado na nossa sociedade.

Zygmund Bauman – wikipedia

Her

Direção: Spike Jonze

País: EUA

Ano: 2013

Nome Original: Her

Em um futuro próximo na cidade de Los Angeles, Theodore Twombly (Joaquin Phoenix) é um homem complexo e emotivo que trabalha escrevendo cartas pessoais e tocantes para outras pessoas. Com o coração partido após o final de um relacionamento, ele começa a ficar intrigado com um novo e avançado sistema operacional que promete ser uma entidade intuitiva e única. Ao iniciá-lo, ele tem o prazer de conhecer “Samantha”, uma voz feminina perspicaz (feita por Scarlet Johanson), sensível e surpreendentemente engraçada. A medida em que as necessidades dela aumentam junto com as dele, a amizade dos dois se aprofunda em um eventual amor um pelo outro. O final é um plot twist surpreendente. 

Medianeiras

Direção: Gustavo Taretto

País: Argentina

Ano: 2011

Nome Original: Medianeras

Martin (Javier Drolas) e Mariana (Pilar López de Ayala) vivem na mesma rua, em edifícios opostos, mas eles nunca se conheceram. Eles andam pelos mesmos lugares mas nunca notaram um ao outro. Quais são as chances deles se conhecerem em uma cidade de três milhões de habitantes? O que os separa, irá uni-los.

Você e os seus

Direção: Hong Sang-soo

País: Coréia do Sul

Ano: 2016

Nome Original: Yourself and Yours

O cineasta coreano Hong Sang-soo (Certo Agora, Errado Antes) embarca numa intrigante excursão na misteriosa obra-prima de Luis Buñuel, “Esse Obscuro Objeto do Desejo”.

Encontros e desencontros.

Direção: Sophia Coppola

País: EUA

Ano: 2003

Nome Original: Lost in Translation

Bob Harris e Charlotte, são dois americanos em Tóquio. Bob, é um decadente astro de cinema que está na cidade para filmar um comercial de uísque. E a bela Charlotte, acompanha o marido, John, um fotógrafo viciado em trabalho. Ambos estão no mesmo hotel, e não se conhecem. Dividem apenas o tédio das horas que custam a passar. Bob, passa quase todo o seu tempo livre no bar do hotel. Enquanto Charlotte, fica horas olhando pela janela de seu apartamento. Até que um dia ele se conhecem e um novo mundo se descortina para ambos. De repente parece mais colorida, mais agitada e mais atraente. E aquelas duas vidas, antes tomadas pelo aborrecimento, ganham novas perspectivas. Nasce entre Bob e Charlotte, uma amizade mágica, uma cumplicidade raramente vista, uma nova forma de ver a cidade e a vida.

Time 

Direção: Kim Ki Duk

País: Coréia do Sul

Ano: 2006

Nome Original: Shi Gan

Seh-Hee (Park Ji-Yeon) e Ji-Woo (Ha Jung-Woo) são namorados de longa data. Eles estão apaixonados, mas Seh-Hee tem uma crise de ciúmes quando seu namorado se sente atraído por outra mulher. Ela está convencida de que Ji-Woo perderá o interesse no relacionamento à medida que o tempo for passando. Para prevenir o rompimento, Seh-Hee decide passar secretamente por uma cirurgia plástica, de modo que ela se torne uma ?nova mulher? para o namorado. Certo dia ela desaparece do mapa, deixando Ji-Woo magoado. Com o tempo, porém, ele vai se esquecendo de Seh-Hee e termina por se apaixonar por uma mulher misteriosa, que guarda um segredo que mudará suas vidas.

Um casamento perfeito

Direção: Eric Rohmer

País: França

Ano: 1982

Nome Original: Le Beau Mariage

Sabine (Béatrice Romand) é uma estudante de artes de 25 anos, que mantém um relacionamento com Simon (Féodor Atkine), um homem casado. Percebendo que Simon jamais deixará sua esposa, Sabine decide romper o romance. Numa festa de casamento Clarisse (Arielle Dombasle), sua amiga, a apresenta a Edmond (André Dussolier), um advogado mais velho. No mesmo instante Sabine decide que ele será seu marido, mas ele vai embora antes mesmo que possam conversar direito. A partir de então Sabine passa a persegui-lo, telefonando-o insistentemente.

Certo agora, errado antes

Direção: Hong Sang-soo

País: Coreia do Sul

Ano: 2016

Nome Original: Right Now, Wrong Then

Por um engano, o diretor de cinema Ham Chunsu chega à cidade de Suwon um dia antes de uma sessão seguida de debate de um de seus filmes. Com tempo livre, ele visita um antigo e restaurado palácio, onde conhece a artista plástica Yoon Heejung. Juntos eles visitam o estúdio da pintora, comem sushi no jantar, bebem soju com os amigos dela e veem crescer a intimidade e interesse ao longo do dia.

Beleza americana

Direção: Sam Mendes

País: EUA

Ano: 1999

Nome Original: American Beauty

Lester e Carolyn Burnham são supostamente um casal comum, cujo casamento desagregado provoca uma tempestuosa mudança em sua aparentemente perfeita vizinhança.

Sammya Dias

Read Previous

Acompanhe em tempo real a reforma do museu do Ipiranga

Read Next

Quero ter uma horta mas tenho pouco espaço. E agora?

Deixe uma resposta