CECP negocia com Petrobras renovação de patrocínio para projeto ecomuseu

O projeto Ecomuseu dos Campos de São José, criado e desenvolvido pelo CECP
(Centro de Estudos da Cultura Popular), deve ter novo patrocínio da Petrobras e
abranger 17 bairros da região leste de São José dos Campos. “As negociações com a
empresa estão bem adiantadas e acreditamos que o patrocínio dos últimos cinco anos
será renovado”, afirma o presidente do CECP, Ricardo Savastano.
A expectativa da gestora do projeto, Maria Siqueira Santos, é que o trabalho recomece
no segundo semestre deste ano, por meio de atividades educativas com foco na
educação ambiental e patrimonial, voltado especialmente para o Parque Alambari e seu entorno.
“A intenção é ampliar a área de reflorestamento na APP (Área de Proteção Ambiental)
do Rio Alambari, além de realizar plantios em suas nascentes, na altura dos bairros
Jardim Mariana II e Vista Verde”, explica Maria Siqueira.
Enquanto durarem as restrições sanitárias para prevenção e combate à Covid-19, as
atividades serão realizadas de maneira virtual, por meio de lives, rodas de conversa,
mesas redondas, saraus e outras. “No ano passado já tivemos que adotar esse
procedimento e o resultado foi satisfatório”, enfatiza Maria Siqueira.


UM NOVO OLHAR

“O projeto tem proporcionado aos moradores participantes um novo olhar e um novo
agir sobre o território onde vivem”, ressalta Maria Siqueira. Essa sensibilização foi
estimulada por ações de educação ambiental e patrimonial, por meio de entrevistas,
rodas de conversa, oficinas, cursos, palestras, realização de trilhas de reconhecimento
do território e promoção de eventos culturais.
Além do patrocínio da Petrobras, o projeto desenvolvido no período de 2015 a 2020 nosbairros Campos de São José, Jardim Diamante e Jardim Americano, vizinhos à
Refinaria Henrique Lage (Revap – Refinaria do Vale do Paraíba), também contou com
apoio do Instituto Embraer e de uma rede de parceiros.
“Com ajuda da rede de parceiros, também foi possível realizar e apoiar a manutenção
de hortas comunitárias em espaços públicos ociosos, bem como o plantio e a
manutenção de agrofloresta urbana, com participação voluntária dos moradores para a
manutenção e cultivo da área” finaliza Maria Siqueira.


CONCEITO
O conceito de ecomuseu está inserido nas discussões apresentadas pela nova
museologia desde a década de 1970. É um modelo de museu que se diferencia do
tradicional em três aspectos: em relação ao espaço, conteúdo e público. O
ecomuseu resulta de um movimento que possui preocupações de ordem científica,
cultural, social e econômica; e se utiliza de todos os recursos da museologia, como
coleta, conservação, pesquisa, restituição/difusão e criação.
Enquanto o museu tradicional requer um edifício para exposição do acervo cultural
que será apreciado pelo público, o ecomuseu se volta para o território, musealizando
os objetos de uso cotidiano e contando com a participação colaborativa e criadora

dos moradores para sua viabilização. Ele manifesta as relações dos homens entre si
e entre a natureza, através desse mesmo espaço ao longo do tempo.
O acervo de um ecomuseu é um acervo dinâmico, em produção, formado por bens
imóveis não construídos, espaços naturais, bens imóveis construídos, bens móveis,
objetos que o homem utiliza ou inventa para resolver as questões práticas da vida
cotidiana.

GESTÃO
O CECP é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, que atua desde 1998 (ano da sua criação) na área da cultura popular. Além do projeto Ecomuseu, a
instituição faz a gestão de outros projetos, como do Museu do Folclore de São José dos Campos, em parceria com a Fundação Cultural Cassiano Ricardo, e da pesquisa para elaboração do Dossiê de Registro do Samba Rural Paulista (ou Samba de Bumbo).

http://cecpdesaojose.blogspot.com/
Tel.: (12) 3924-7318
cecpsaojosedoscampos@gmail.com

Texto: Enviado pelo CECP

Juliana Rangel

Read Previous

A inserção da mulher no mercado de trabalho

Read Next

FDR oferta curso de “enfrentamento à violência doméstica e familiar contra mulher”

Deixe uma resposta