ArabicBengaliChinese (Simplified)EnglishFrenchHindiPortugueseRussianSpanishUrdu

Vilarejo na Rússia feito por impressora 3D – Será Verdade?

Você provavelmente já deve ter ouvido falar sobre impressoras 3D, não é verdade? Afinal de contas, existem várias oportunidades recentes sendo feitas por este tipo de equipamento. Mas e se nós te disséssemos que tem um vilarejo na Rússia feito por impressora 3D?

Pois é, parece uma notícia bastante absurda, uma espécie de Fake News. Entretanto, esta é uma realidade que deve acontecer em breve.

Ficou Curioso? Então se liga nessa informação nova que nós do Click Museus trouxemos para você.

Vilarejo na Rússia feito por impressora 3D – Será Verdade?

Primeiramente é importante dizer que este é um empreendimento que obviamente não será feito 100% em tecnologia de impressoras 3D. Parte grande das coisas serão feitas de maneira normal.

Uma empresa chamada AMT iniciou um projeto de construção de um vilarejo de 1,5 hectares no local que eles chamam de Iaroslavl.

Embora grande parte do projeto vá exigir ações tradicionais, 12 dos edifícios serão criados utilizando a tecnologia em si. E não estamos falando de um projeto que já tem grande demanda, mas de um teste que pode ter resultados promissores.

Sendo assim, se espera poder levantar edificações em uma velocidade absurdamente rápida e de maneira mais econômica.

A impressora não é qualquer uma, seu modelo se chama S-300, e tem a capacidade de fazer projetos em grande escala. Entretanto, sua engenharia seguem sim os mesmos princípios de uma outra impressora 3D qualquer.

Esta impressora já foi capaz de imprimir anteriormente uma casa inteira. E o mais impressionante é que os valores não ficam muito acima do normal, atingindo uma média de R$1425 por metro quadrado.

Em testes anteriores e cálculos recentes, estima-se que é possível construir uma edificação de 100 metros quadrados em apenas 30 horas.

É como se não houvesse uma casa em um terreno em um dia e no final do outro já tenha como receber moradores.

E aí, gostou da ideia? Então deixe nos comentários se você se arriscaria a morar em um local assim.

Até a próxima!

Click Museus

Read Previous

Conversas sobre Perguntas | Palavra-Corpo, com Ana Botafogo

Read Next

4 principais vocalistas indígenas da música brasileira

Deixe uma resposta