Lygia Martins Costa, a primeira museóloga do IPHAN.

Lygia Martins Costa (Pinheiral, 13 de dezembro de 1914) foi importante museóloga brasileira. Lygia se formou no curso técnico de Museus do Museu Histórico Nacional, embrião do primeiro curso de Museologia do Brasil. 

Após terminar seu curso, passou a atuar como servidora pública na equipe de conservação do Museu Nacional de Belas Artes, onde atuou até 1952. Após esse período, foi trabalhar no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), a convite de Rodrigo Melo Franco de Andrade, fundador e primeiro presidente da instituição, onde exerceu diversas funções.

Foi uma das principais figuras na criação de uma representação do Conselho Internacional de Museus (Icom) no Brasil. Representou o Brasil em conferências internacionais de museus. Deu consultorias, palestras e cursos em diversas universidades. Foi professora convidada da Universidade de Brasília de 1962 a 1963.

Em 1972, ela assumiu a direção da Divisão de Estudos e Tombamentos. A servidora também representou o Brasil no Conselho Internacional de Museus, da Unesco, e inaugurou o ensino de História da Arte da UnB, além de idealizar o Museu da Abolição, em Recife (PE). Representou o Brasil na histórica Mesa Redonda de Santiago, que consagrou as teses da Museologia Social, que são amplamente utilizadas atualmente.

Lygia se aposentou em 1985, mas não parou de exercer sua profissão! Continuou produzindo textos, fazendo parte de seminários e prestando consultorias. Foi autora de textos de referência sobre Aleijadinho, Artes, Patrimônio, Museologia e Museus Regionais. Ela só deixou de trabalhar em 1996, totalizando mais de cinco décadas de atuação no campo do Patrimônio Cultural nacional e internacional.

Em 2006, recebeu a Ordem do Mérito Cultural, é uma ordem honorífica que reconhece suas contribuições à cultura do Brasil.

Entretanto, em 11 de julho de 2020, Lygia faleceu, aos seus 105 anos.

Em seus mais de 50 anos atuação e dedicação ao mundo patrimonial, Lygia não foi só uma pioneira e uma grande profissional, mas uma agente transformadora da Museologia e do Patrimônio brasileiro.

O click museus reconhece a importância e a atuação de Lygia Martins Costa, e agradecemos por todo o legado deixado.

Obrigada Lygia, sentiremos saudade e manteremos sua memória sempre preservada! 

Sammya Dias

Read Previous

Quero ter uma horta mas tenho pouco espaço. E agora?

Read Next

Com a pandemia de COVID-19, cerca de 85 mil instituições culturais estão fechadas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: