Arqueologia Brasileira no Museu das Culturas dom Bosco

Um dos estudos mais relevantes para a etnologia e para a história é a arqueologia, que consiste na pesquisa, coleta e análise de materiais produzidos pelo ser humano no decorrer de sua existência. Ou seja, a arqueologia estuda todos os vestígios humanos, desde uma pegada quase invisível até os enormes zigurates mesopotâmicos. Isto se dá a partir do estabelecimento de sítios arqueológicos, que são locais onde há evidência de habitação de povos antigos. 

Exposição de Arqueologia no MCDB. Arquivo Documental UCDB/MCDB, 2021.

No Brasil, a espécie humana está presente há muito tempo. Antes mesmo da chegada das caravelas europeias, inúmeras sociedades se formaram a partir da chegada dos pioneiros que cruzaram continentes e aqui chegaram. Houve o desenvolvimento de povos de características tribais, como é o caso das várias nações indígenas que originaram as etnias hoje tão ativas na luta pelo seu direito de existir. Logo, é claro que a população americana precede por muitos séculos a chegada dos colonizadores europeus. Só no centro-oeste, foram encontrados vestígios humanos que datam desde a transição entre as épocas Pleistoceno/Holoceno, há cerca de 11 mil anos.

A partir de pinturas, pegadas, fogueiras, cerâmicas, objetos de pedra e demais ferramentas de produção humana que foram preservados pelo tempo, foi possível remontar muitas das características que definiam antigos povos brasileiros, dando luz à uma história que carece de escrituras, a denominada, pré-história ou idade da pedra. É assim que a arqueologia trabalha, analisando cada detalhe da existência humana, considerando todos os aspectos que podem influenciar no seu desenvolvimento e como o passado se transformou no presente que conhecemos.

Exposição de Arqueologia no MCDB. Arquivo Documental MCDB/UCDB, 2021.

Uma sociedade que se destaca no estudo arqueológico brasileiro são os habitantes dos sambaquis. Essa cultura, de características tribais, pelo que se sabe, vivia da pesca, caça e coleta, entre 9 e 10 mil anos atrás, no litoral brasileiro. O que mais chama atenção nesse povo é o fato de terem construído enormes montanhas de conchas, ossos e outros restos alimentares. Nessas montanhas, que eram utilizadas como habitação e fortaleza, também foram encontrados ossadas, sugerindo a ocorrência de sepultamentos nos sambaquis, surgindo a possibilidade dos grandes montes terem sido, também, de caráter religioso.

No Museu das Culturas Dom Bosco é possível encontrar em exposição vários objetos de estudo arqueológico, desde pontas de flecha minúsculas até as enormes urnas funerárias fabricadas a partir de cerâmica. Além da exposição de arqueologia, toda a coleção etnológica do museu comprova a importância dos estudos arqueológicos e culturais. Apesar de estarmos fechados devido à pandemia, é possível acompanhar e visitar o museu utilizando nossas redes sociais ou entrando em contato conosco pelo número (67) 3312-3903.

Texto de Matheus Mota

Visite o canal no Youtube do MCDB aqui:

Redes sociais:

Museu das Culturas Dom Bosco

Museu universitário, ligado à Universidade Católica Dom Bosco - UCDB. Possui rico acervo de história natural com coleções de: mineralogia, paleontologia, zoologia, arqueologia e etnologia.

Read Previous

Museu Afro Brasil contrata Coordenador do Núcleo Salvaguarda

Read Next

Museu da Imigração contrata Analista Administrativo Jr- SP

One Comment

Deixe uma resposta