ArabicBengaliChinese (Simplified)EnglishFrenchHindiPortugueseRussianSpanishUrdu

Conheça a História da Av. Paulista – Desde a Fundação

Se você é brasileiro, então com certeza já deve ter ouvido falar da Paulista. Mas você tem alguma ideia de qual é a história da Av. Paulista?

Sabe como uma simples rua se tornou o local com o valor territorial mais caro do país e um dos mais caros do mundo todo?

Com o objetivo de te ajudar a entender um pouco mais sobre a história do nosso país, está aqui um breve resumo sobre a história deste local tão importante. Vamos conferir?

Qual é a história da Av. Paulista?

Primeiramente é importante notar que as coisas não surgiram ao acaso, muito menos de um momento para o outro.

A sua criação foi planejada e seu crescimento aconteceu exponencialmente desde seu início. Podemos dizer que hoje temos um dos locais mais movimentados de toda a cidade, quem sabe até de todo o país.

Tudo começou em 1891, onde a cidade de São Paulo já se encontrava em grande fenômeno de expansão. Principalmente por conta da transição para a república, ocorrida pouco menos de 2 anos antes.

A avenida tinha como objetivo incentivar a expansão da cidade para aquela direção, onde o lado inicial que contava com a Praça da República, Campos Elísios e a região do Triângulo já eram um dos pontos mais valorizados.

Um dos grandes trunfos da adesão foi a instalação de bondes que funcionavam por sua extensão.

Pouco tempo depois esta foi a primeira rua da cidade a ser asfaltada.

Porém até a década de 50, basicamente toda a extensão da avenida em si era feita de prédios residenciais.

Com a mudança da legislação de uso e ocupação do solo nos anos 60, as primeiras agências de bancos, prédios e sedes de multinacionais começaram a se instalar.

A partir daí a situação foi tomando grandes proporções e hoje podemos encontrar um dos locais mais agitados da maior capital do país. E aí, tinha alguma ideia da história deste lugar?

Se acha que este conteúdo merece mais detalhes com uma parte dois sobre a história da Av. Paulista, então deixe aqui nos comentários, ok?

Até a próxima!

Foto de capa: depositiphotos

Click Museus

Read Previous

3 escritoras feministas que você precisa conhecer

Read Next

MINHWA: a pintura tradicional coreana

Deixe uma resposta