Correios lança selo em homenagem à flora brasileira  

Os Correios lançam, nesta quinta-feira (22), o selo especial da Série Mercosul: Fauna e Flora – Suculentas. O décimo quarto lançamento filatélico de 2022 destaca toda a relevância e beleza das plantas capazes de acumular água no caule, nas folhas ou até nas raízes.  

Suculência é uma característica altamente associada a resiliência. Por isso, ela está tão presente em plantas que habitam regiões áridas do globo, porque a falta de água é o maior fator que impede a sobrevivência de uma planta. Este incrível mecanismo permite que no Brasil sejam encontradas suculentas habitando desde os rochedos no Rio Grande Sul até a floresta amazônica.  

Estima-se que existam mais de 12 mil espécies de suculentas distribuídas principalmente no sul e leste da África, na Cordilheira dos Andes, no Brasil, no México e desertos da América do Norte. Entretanto, estas plantas ocorrem apenas em lugares muito restritos, o que torna a maior parte das suculentas muito suscetíveis a perda de habitat e as mudanças climáticas e, como consequência, muitas estão ameaçadas de extinção.  

Se por um lado o aquecimento global afeta a sobrevivência de diversas suculentas em seus ambientes naturais, por outro estas plantas representam o futuro da agricultura. Assim como a cana-de-açúcar, essas plantas têm a capacidade de acumular muitos açúcares que podem ser convertidos em biocombustíveis, com o diferencial de utilizarem até 80% menos água que as culturas tradicionais.  

Sobre os selos – A emissão traz 4 selos de suculentas, das espécies Quiabo-da-lapa (Uebelmannia pectinifera), Mandacaru (Cereus jamacaru), Planta-pedra (Lithops lesliei) e Sisal (Agave sisalana), retratadas em belas fotografias, onde é possível ver a beleza das cores, texturas e formatos da flora brasileira. 

Com tiragem de 128 mil exemplares e valor de R$ 2,60 cada, os selos já estão disponíveis para venda na loja virtual e, em breve, nas principais agências do País. 

Read Previous

Discussão coletivo sobre patrimônio histórico com uso de realidade aumentada

Read Next

Museu do Pontal é o primeiro no Brasil a
produzir 100% da energia que consome

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *