ArabicBengaliChinese (Simplified)EnglishFrenchHindiPortugueseRussianSpanishUrdu

O que é o ENEMU e como ele tem caminhado?

Logo: Simone Santos Arcebispo

O Encontro Nacional dos Estudantes de Museologia – ENEMU, foi criado em 2004, fundamentado em iniciativas propostas por estudantes, das duas Escolas de Museologia já existentes no Brasil na época (UNIRIO e UFBA). O ENEMU está vinculado à Executiva Nacional dos Estudantes de Museologia (EXNEMUS) e contemporaneamente se caracteriza como o maior evento estudantil da Museologia brasileira. O evento se realiza anualmente, sendo organizado totalmente por discentes e é sediado cada ano em universidades distintas onde o curso está presente. Esse grande encontro busca promover experiências, intercâmbio de conhecimentos e fomentar a pesquisa científica no campo de atuação.

A 13ª edição do ENEMU vai ser sediada na cidade de Ouro Preto em Minas Gerais e tem sido organizada pelos alunos dar Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP); o tema escolhido foi “A construção da Museologia enquanto campo disciplinar independente: o desenvolvimento da pesquisa e extensão nas duas últimas décadas”. A proposta é de se discutir e refletir sobre o crescimento significativo no número de cursos de Museologia no país nesse período e como o desenvolvimento da pesquisa e extensão tem colaborado para definição e construção da Museologia como um campo disciplinar independente.

Devido a pandemia do Covid-19, o evento teve de ser adiado e remarcado previamente para o ano de 2021. A organização do XIII ENEMU, sabida de todas as inseguranças do momento, planejou um evento totalmente em ambiente virtual, em formato de Webinário; pois assim o fácil acesso é garantia para todxs.

Logo: Simone Santos Arcebispo

“A logo do Enemu foi desenvolvida com base em elementos que caracterizam o evento. A fusão dos componentes que representam a cidade juntamente com o olhar pautado na tríade da museologia, buscando relacionar inovação, preservação, os sujeitos e o território.A ideia de mostrar a cidade fluída e em constante transformação em conexão com a universidade, pelas trocas e pelo desenvolvimento das linhas extraídas por intermédio do mapa topográfico formando uma pupila que representa o elo com o olhar do museólogo.” fala de Simone Santos Arcebispo.

Confira a programação completa em: https://www.instagram.com/xiiienemu/?igshid=1glxbmavldsl7

Acompanhe nosso canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCmSVESxqqOGfqoFZyiozG3w

Sabrina Nunes

Read Previous

Com Curadoria Colaborativa, Museu da Pessoa lança programação “Vidas Negras”

Read Next

Museu da Imigração oferece curso “A Hospedaria de Imigrantes e os tijolos do racismo estrutural no Brasil”

Deixe uma resposta