09 programações gratuitas no Museu Afro Brasil

O Museu afro Brasil convida a todos para cursos e oficinas gratuitos na sua programação de Dezembro.

Seminário de Práticas Educativas

Neste ano, o Núcleo de Educação buscou articular discussões que se propõem a pensar educação plural em diálogo com os desafios da educação pública em meio à pandemia da Covid-19. Para isso, elaboramos dois painéis: “Educação Pública: desafios e possibilidades em tempos de pandemia” e “A educação para além de uma perspectiva única”.

Data: 04 de dezembro, das 10h00 ás 16h00 – No Youtube do Museu / Não é necessário inscrição – Haverá certificação 

Museu na Marquise: Brincadeiras do Congo

O educador congolês Wasawulua Daniel apresenta histórias e brincadeiras originárias da República Democrática do Congo, ensinando danças e canções em Lingala e outras línguas da região.A ação apresenta uma excelente oportunidade para aprender mais sobre a diversidade do continente africano e suas memórias.

Data: 04 de dezembro, às 12h00 – No Museu (Maquise) / Não é necessário inscrição 

Oficina virtual de Colagem – exposição Frida Orupabo

Em comemoração ao Mês da Consciência Negra, o Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil oferece uma oficina de colagem inspirada na obra da artista norueguesa Frida Orupabo, cuja obra repensa o modo como a mulher negra é representada na sociedade ocidental.

07 de dezembro, às 15h00 – No Zoom / inscrições: 1 a 6 de dezembro

Webinário Museus comunitários na luta antirracista 

Encontro preparatório de um projeto em prol da formação de um museu na comunidade quilombola São Pedro, localizada no município paulista de Eldorado, no Vale do Ribeira. Com a participação de: Suzy Santos, Suzenalson Kanindé (Ponto de Cultura & Memória: Museu Indígena Kanindé) e Lucas Ribeiro, da Rede Museologia Kilombola

Data: 08 de dezembro, às 19h00 – No Youtube do Museu Afro Brasil

Palestra “Colonialismo e escravidão em museus europeus: a abordagem de passados difíceis e as cidadanias afro-diaspóricas”

Em 2018, a reabertura do Museu Real da África Central (Tervuren, Bélgica) após cinco anos fechado para uma renovação de sua exposição de longa duração, trouxe para o debate público questões sobre a abordagem do colonialismo belga e sobre a cidadania da comunidade afro-diaspórica. O Museu Internacional da Escravidão (Liverpool, Reino Unido), por sua vez, aberto em 2007, já nasceu sob o signo de uma proposta antirracista. A análise do funcionamento destas instituições e a identificação de seus agentes, práticas e redes permite compreendermos quais caminhos precisam ser tomados para a construção de propostas verdadeiramente descolonizadas e que possam ser compreendidas enquanto um dever de memória. O objetivo desta palestra é discutir sobre a importância do diálogo internacional sobre a memória e história pública da escravidão e do colonialismo, tendo como horizonte a promoção da cidadania das comunidades afro-diaspóricas.

Data: 09 dezembro, às 19h00 – Zoom 

Sonhar o Mundo – “Soluções Sistêmicas para o futuro que queremos: Mulheres”

Seminário: Mulheres Transformam os Museus no Museu Afro Brasil: histórico, balanço e horizontes Convidada/os: Maré de Matos (artista transdisciplinar), Lilian Amaral (DIVERSITAS USP), Simeia Mello (Museu Afro Brasil), Daniel Perseguim (Mídia-designer e educador), Davidson Kaseker – diretor do Grupo Técnico de Coordenação do Sistema Estadual de Museus (GTC/SISEM-SP)

Data:10 de dezembro, das 10h00 às 13h00 – No Museu (Auditório Ruth de Souza) 

Leituras do Acervo

O projeto Leituras de Acervo vem ao longo de dois anos, instituindo um processo de investigações sobre as obras/objetos do acervo com o intuito de compreendê-los, através de pautas temáticas, ou, pelas linhas gerais do discurso da própria instituição. Deste modo, a proposta deste encontro com a pesquisadora Joyce Farias, consiste em trazer reflexões e apontamentos a partir da investigação de apenas uma obra do acervo do Museu Afro-Brasil. Trata-se de uma peça compõe a coleção de esculturas de cunho devocional denominadas “nó-de-pinho”, que hoje integra a exposição de longa duração da instituição.

10 de dezembro, às 16h00 – No Zoom 

Ateliê Aberto: Bingana

Oficina Bingana, baseada na cultura congolesa, tem como matéria-prima a palavra. Os participantes são convidados a conhecer, aprender, brincar e refletir sobre provérbios apresentados em três línguas: português, quicongo e Lingala.

11 de dezembro, às 11h00 – No Museu (Marquise)  

Lançamento do documentário: Terra em Transe

Lançamento do filme documentário sobre a produção da exposição Terra em Transe. Direçao: Daniel Kfouri. Com a presença do diretor do filme e do curador da mostra, Diógenes Moura

11 de dezembro, às 14h30 – No Museu (Auditório Ruth de Souza)

Inscrições no LINK

Conheça o Museu Afro

O Museu do Negro Brasileiro é uma instituição pública filiada à Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e administrada pela Associação Brasileira de Museus do Negro-Sociedade Cultural.

O museu está localizado no Padre Manoel da Nóbrega no Parque do Ibirapuera, o parque mais famoso de São Paulo.

Possui uma área de 11.000 metros quadrados e possui um acervo de mais de 6.000 obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias , documentos e etnias de autores brasileiros e estrangeiros.

O museu exibe parte de seu acervo em exposições de longa duração, mantém exposições temporárias e possui um auditório e uma biblioteca especial para complementar sua programação cultural durante o ano todo.

Read Previous

Pina- 05 vagas para Atendente Ensino Médio Completo

Read Next

Catavento Cultural vaga Assistente de Visitação I

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *